CD Aves, SAD alcança a terceira vitória consecutiva

CD Aves, SAD alcança a terceira vitória consecutiva

O CD Aves, SAD somou, este sábado, a terceira vitória consecutiva diante do Santa Clara, por 1-0, no jogo inaugural da 34.ª jornada da Ledman LigaPro. O médio Ericson marcou o golo da vitória logo aos 14 minutos.
O Aves foi muito superior na primeira parte, foi mais ambicioso e acabou por ver o resultado ajustado à exibição saindo para o intervalo a vencer pela margem mínima.
Na segunda parte, o jogo foi mais equilibrado porque o Santa Clara, naturalmente, arriscou mais no ataque e o Aves recuou para junto da sua baliza, procurando agarrar a preciosa vantagem. No entanto, as melhores ocasiões continuaram a pertencer ao avenses. Aos 52 minutos Guedes cabeceou à barra. A equipa forasteira lançou alguns ataques pelo lado direito e conseguiu espaço para alguns cruzamentos, mas não passou disso e raramente criou situações claras de perigo e muito menos de golo.
Depois de um período sob alguma pressão, mas com o jogo controlado, o Aves recompôs-se e manteve o marcador favorável.
Para José Mota o resultado apenas pecou por tão magro. “Para além de merecermos vencer este jogo, tivemos várias oportunidades para aumentar este resultado, o que, se calhar, trazia mais justiça. Foram várias as oportunidades que, umas por manifesta infelicidade e outras por alguma falta de discernimento, poderíamos e devíamos ter concretizado”, contou.
“A vitória foi justíssima. O Aves foi a equipa que mais fez, desde o primeiro minuto, para atingir este mesmo resultado. Na primeira parte, não me recordo do Santa Clara ter chegado perto da nossa área. Na segunda parte é que conseguiu chegar perto da nossa baliza com algumas bolas diretas e o Quim, tranquilamente, foi defendendo.”
De facto, foi uma partida onde o trabalho para guardião avense escasseou, fruto da completa nulidade do ataque insular. José Mota “estava à espera dum Santa Clara mais agressivo em termos ofensivos”. Apesar de ser um adversário que luta, também, por objetivos maiores “nunca nos criou perigo quase nenhum. Controlamos o jogo, fizemos o golo, tivemos mais oportunidades, ‘tivemos mais tudo neste jogo’. Fomos, com toda a certeza, um vencedor justo”, salientou o técnico do Desportivo.
“Era um jogo extremamente difícil que acabou por tornar-se ‘fácil’ pelo empenho e pela concentração dos jogadores durante todo o jogo; mereciam ter um resultado mais dilatado, até pela forma como anularam o adversário”, concluiu Mota.


Aves-Santa Clara, 1-0

Ao intervalo: 1-0

Marcador: 1-0, Ericson (14')

Aves: Quim, João Amorim, Tiago Valente, José Pedro, Nélson Pedroso, Ericson, Erivaldo (Barry, 65), Bruno Alves (Yaya Bamba, 81), Pedró (Caetano, 71), Balogun, e Guedes.

Treinador: José Mota

Santa Clara: Serginho, Rui Silva, Accioly, Felipe Barros, Igor (Berny Burke,77), Diogo Santos (Guilherme Schettine, 45), Osama, João Reis, Saldanha, Adel Gamal (Pineda, 39) e Clemente.

Treinador: Carlos Pinto.

Árbitro: Tiago Antunes (AF Coimbra).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Balogun (45'), Igor (45'+3) e Bruno Alves (60').